Presidente de Rotary International visita o Brasil

Barry Rassin, do Rotary Club de East Nassau, Bahamas, Presidente 2018-19 do Rotary International estará no Brasil no final de agosto em apoio à Campanha Nacional de Vacinação contra a Pólio.

 

Em apoio à erradicação da poliomielite, o presidente de Rotary International Barry Rassin visitará o Brasil no final do mês. De acordo com ele, o trabalho do Rotary para a erradicação da pólio é uma fonte imensa de inspiração: em 1988, cerca de 350.000 pessoas sofriam paralisia como resultado de infecção pelo vírus da pólio selvagem; em 2017, apenas 22 casos foram documentados. “Nós estamos vivendo um momento incrivelmente empolgante na erradicação da pólio. Um ponto no qual cada novo caso de pólio pode vir a ser o último”, comemora.

No entanto, enfatiza que, mesmo após o último caso de pólio ter sido documentado, o trabalho continuará existindo. “A paralisia infantil não estará erradicada até que o comitê responsável confirme isso. Para tanto, nenhum vírus da pólio deve ser encontrado em rios, em esgotos ou em uma criança por pelo menos três anos. Até lá, temos que continuar trabalhando exatamente como agora”, faz questão de frisar.

Enquanto estiver no país, Rassin - que é defensor das atividades de vigilância em relação ao vírus da pólio e da imunização contra doenças - trabalhará com agentes da saúde e outros voluntários para ministrar a vacina durante a Campanha Nacional de Vacinação. “Devemos continuar imunizando todas as crianças contra a poliomielite para protegê-las contra a ameaça de surtos e para garantir que não existam áreas com população vulnerável ao vírus da pólio. Infelizmente, tais áreas foram identificadas no Brasil. Mas vocês, brasileiros, estão de parabéns por reconhecerem o risco e por trabalharem com o Programa Nacional de Imunização na identificação de áreas de baixa cobertura e adoção de campanhas direcionadas de imunização”, comentou.

Rassin fez MBA em saúde e administração hospitalar na Universidade da Flórida e é o primeiro membro do Colégio Americano de Executivos de Assistência Médica nas Bahamas. Recentemente, ele se aposentou depois de 37 anos como presidente do Doctors Hospital Health System, onde continua servindo como consultor. Ele é membro vitalício da Associação Americana de Hospitais e serviu em vários conselhos diretores, incluindo do Quality Council of the Bahamas, Health Education Council, e Employer’s Confederation.

Rotariano desde 1980, Rassin serviu ao Rotary como diretor, líder de treinamento e assessor do presidente de Rotary International na gestão 2015-16. Rassin recebeu o Prêmio Dar de Si Antes de Pensar em Si, a maior homenagem concedida pelo Rotary, além de outros reconhecimentos humanitários por sua liderança a esforços de assistência no Haiti após o terremoto de 2010. Ele e sua esposa, Esther, são doadores extraordinários e Benfeitores da Fundação Rotária.

Além do apoio à Campanha Nacional de Vacinação, a agenda de Barry Rassin ao Brasil inclui a visita à Fundação de Rotarianos de São Paulo, a maior obra rotária do mundo na área da educação. Acompanhado por diretores e gestores da Fundação e por rotarianos, o presidente conhecerá o Colégio Rio Branco, as Faculdades Integradas Rio Branco na Granja Viana e na Lapa, o Ensino a Distância Rio Branco, o Centro Profissionalizante Rio Branco e o Centro de Educação para Surdos Rio Branco.

“Juntos, vemos um mundo onde as pessoas se unem e entram em ação para causar mudanças duradouras em si mesmas, nas suas comunidades e no mundo todo”, finalizou o presidente, ansioso para chegar ao nosso país (declaração de visão do Rotary International).

 

Progresso na luta contra a pólio

O Rotary lançou o programa de imunização Pólio Plus em 1985. Em 1988, a organização se tornou líder na Iniciativa Global de Erradicação da Pólio, junto com a Organização Mundial da Saúde e o Centro Norte-Americano de Controle e Prevenção de Doenças. Mais tarde, a Fundação Bill e Melinda Gates também passou a integrar o grupo. Desde que a iniciativa começou, a incidência da paralisia infantil no mundo caiu em mais de 99,9%, indo de 350.000 casos em 1988 para apenas 22 em 2017. O Rotary já contribuiu mais de US$1,8 bilhão para a luta contra a pólio.

 

Sobre o Rotary

O Rotary, uma rede global de voluntários dedicados a vencer os maiores desafios humanitários do mundo, tem mais de 1,2 milhão de associados e 35.000 clubes no mundo inteiro. Seja ajudando famílias carentes ou combatendo a paralisia infantil, a organização trabalha para melhorar a qualidade de vida em comunidades locais e internacionais.

 

Afinal, o que é o Rotary?

Somos líderes que se reúnem, trocam ideias e entram em ação para fazer o BEM no mundo.